Escolha uma Página

O Comitê do DF do PCdoB aprovou no ultimo dia 10, uma resolução que traduz a visão dos comunistas sobre as medidas necessárias para o enfrentamento à pandemia e também sobre a proposta de reabertura das escolas. Para o secretário de Organização do PCdoB/DF, o médico Roberto Bittencourt a resolução “incorpora a visão de profissionais da saúde e também os que atuam na educação sobre esse tema que é muito sensível para o nosso povo”.

Veja a íntegra da resolução:

A propaganda oficial do GDF afirma que já fez a sua parte no controle da pandemia e ameaça a população afirmando que se ela não fizer a parte dela, ultrapassaremos 2mil mortes.
Não é verdade ! O GDF ainda não fez o mais importante para controlar a pandemia, que são as medidas de Vigilância Epidemiológica, ou seja, testagem em massa da população para identificar os casos positivos, rastrear os seus contatos e isolar seletivamente os infectados pelo coronavírus. Essa é a posição da maioria dos epidemiologistas consultados pelos órgãos de imprensa.
O resultado não poderia ser outro: a pandemia está contaminando e fazendo vítimas fatais em patamares altíssimos. São 112.044 casos e 1.403 óbitos até o dia 03 de agosto. São 2 mil novos infectados e 23 mortes por dia. Essa situação perdura há mais de três semanas. Revelando que a taxa de transmissão do coronavírus ainda se encontra acima de 1.
Nesse cenário, ao reabrir a Educação Básica significa um acréscimo na circulação de cerca de 2,3 milhões de pessoas, ligadas diretamente ou indiretamente a comunidade escolar do DF, entre professores, estudantes, auxiliares em educação e suas famílias, o que representará um contingente a mais nos ônibus, metrô, nos ambientes e vias públicas, assim como circulando nos próprios domicílios.
Preliminarmente, para que a reabertura segura seja possível, é necessário a readequação dos ambientes escolares de 689 instituições públicas, que a muito tempo estão sucateadas. Urge a instalação de lavatórios, filtros, medição de temperatura eficiente, uso obrigatório de máscara inclusive por alunos da educação infantil e séries iniciais, entre outras medidas consideradas pela secretaria de saúde de suma importância para segurança para todos e todas que atuam no ambiente escolar.
A orientação da Organização Mundial da Saúde com base em pesquisas recentes é clara e deve ser seguida a risca pelo GDF: (1) Somente reabrir as Escolas quando a taxa de transmissão estiver abaixo de 1, sustentadamente, por 14 dias. (2) Iniciar, agora, as medidas de Vigilância Epidemiológica nos territórios. (3) Quando da reabertura das escolas, estudantes e todos os profissionais que atuam na educação básica devem ser testados com RT-PCR, ao menor sintoma gripal, em caso positivo, seus contactantes devem ser identificados e isolados, rompendo assim a nova cadeia de transmissão do coronavírus.
O GDF somente não tomará essas medidas essenciais para os brasilienses se não quiser!
Existem 172 UBS, 1.191 agentes comunitários de saúde e 541 agentes de controle de endemias no DF. Esses valorosos profissionais de saúde ainda não tiveram apoio do GDF para atuar, conforme as regras da Vigilância Epidemiológica.
Ademais, no DF encontram-se instituições capazes de guiar as ações de Vigilância Epidemiológica por cidade, por quadra, por CEP, por moradia, por CPF, permitindo grande efetividade na supressão da pandemia.
Enquanto isso não ocorrer, o GDF ficará abrindo novos leitos de UTI, medida salvadora, mais incompleta e, contando o número de brasilienses mortos.
Propomos que a sociedade civil: sindicatos, associações de pais e mestres, entidades estudantis, universidades se unam em um comitê permanente para avaliar em tempo real a situação da transmissão do coronavírus e se constituir como parte integrante na tomada de decisão do momento certo para a reabertura das Escolas Públicas e Particulares no DF.

Brasília, 8 de agosto de 2020
Em Defesa da Vida, da Democracia e do Emprego
PCdoB – DF